Por que o Servidor Dedicado físico ainda é tão utilizado?

O servidor não é mais a mesma coisa que alguns anos atrás. Antes, era apenas um equipamento instalado em um canto da empresa, com o propósito de armazenar dados, integrar e compartilhar impressoras e computadores na mesma rede interna (intranet). Agora, assumiu novas funcionalidades, atuando inclusive como servidor principal da operação de empresas, se consolidando como um equipamento chave para as estratégias comerciais da companhia. Seu posicionamento em um Data Center profissional, com benefícios que já pontuamos outras vezes aqui no blog, corrobora com esse status.
Ainda não sabe por que o servidor dedicado físico ainda é uma das principais escolhas das empresas para esse fim? Descubra tudo sobre o assunto a partir de agora!

O que é e como funciona um Servidor Dedicado?

O servidor dedicado físico em modelo de hosting é um equipamento disponibilizado por um provedor para satisfazer as necessidades das empresas na formação de uma demanda de TI própria. Ele fica alocado em um Data Center estruturado e mantido pelo fornecedor, mas a empresa ganha exclusividade de uso do que contrata (sem compartilhamentos).

Um ambiente é considerado dedicado quando reservado para uso exclusivo da empresa ou para atender apenas um software, não tendo seus recursos (espaço, rede e capacidade de processamento) compartilhados com outros usuários ou sistemas. Possui configurações de recursos específicas e de acordo com as necessidades do usuário, que é único. Além da opção de servidor dedicado físico, se encaixaria nesse perfil também os cloud servers, servidores virtuais com alta disponibilidade, sobre os quais também já falamos aqui no blog.

Trata-se de uma estratégia eficiente, já que a responsabilidade pela infraestrutura fica por conta do provedor, ajudando a empresa a economizar custos e ter a chance de expandir as operações com baixo investimento.

Principais razões para a utilização nas empresas

Agora que você já sabe o que é e como funciona um servidor dedicado físico, entenda por que ele ainda é preferido por muitos gestores de TI:

É flexível e fácil de implementar

Muitos profissionais desenvolvedores de softwares preferem o servidor dedicado físico devido à maior similaridade entre o ambiente local de homologação e o ambiente final de produção, aumentando assim a aderência com o ambiente e seus resultados em termos de performance. Enquanto que em uma implementação complexa de virtualização diversas variáveis podem influenciar o resultado, ter a informação e a dedicação total de um modelo de processador, quantidade de memória e modelo de HDD ou SSD reduz de forma significativa os imprevistos após o deploy do conteúdo.

Além disso, sua ambientação é mais simples, tendo menor número de SPoF (Single Point of Failure), como acontece na virtualização em diversas camadas.

Oferece grande densidade a baixo custo

Nesse modelo de serviço, não há a dependência de uma camada de storage, pois os volumes são posicionados dentro do próprio equipamento físico, sendo possível a segmentação de acordo com a demanda e budget. Se há a necessidade de uma mescla entre performance (SSD) e densidade (SATA), o custo ficará muito bem controlado. Ainda que a demanda por densidade seja muito grande, devido ao que se tem hoje disponível em unitário de HDD, o contratante conseguirá obter vários TB utilizáveis, em um único equipamento, e com um custo muito baixo!

Também, quando uma aplicação executa um volume muito grande de ações de leitura e de gravação de dados, demanda alta capacidade de processamento: um storage de altíssima performance, com volume 100% SSD, com certeza também representará um investimento muito superior em relação aos SSDs locais dentro do servidor dedicado físico.

Se a empresa usa um sistema de BI (Business Intelligence), por exemplo, ele será uma boa escolha, já que o software é grande, pesado e trata de informações sensíveis.

Transmite maior sensação de segurança

A segurança lógica e física de servidores dedicados é muito parecida com a do VPS (Virtual Private Server) e, como ele é destinado apenas para uso próprio, só terão acesso os responsáveis pelo gerenciamento físico (pessoal da manutenção), virtual (administradores de rede) e os usuários que dependem dos dados e ferramentas para o trabalho, porém, como já pontuamos, o servidor dedicado físico leva vantagem no que se refere a quantidade de incidentes possíveis dentro de uma virtualização, tornando a infraestrutura simples e performática.

Com a liberdade para um acesso remoto diretamente em um console de gerenciamento na BIOS (como é o caso da iDRAC, dos servidores fornecidos pela empresa Dell) do equipamento, nem mesmo a impossibilidade de conexão via terminal padrão (Remote Desktop, SSH, etc.) deixa o cliente do servidor dedicado físico em condição complicada, havendo a possibilidade de uma intervenção pontual e qualificada.

Rack de servidores dedicados

Se a empresa precisa otimizar suas operações de TI, mas conta com um orçamento limitado para a estratégia, contratar um servidor dedicado físico pode ser a melhor solução. Pense no assunto!

Gostou do conteúdo? E você, qual tipo de servidor utiliza? Deixe seu comentário e participe!

About Equipe Create7
Equipe geradora de conteúdo create7
In Socials:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

2 × five =